É preciso aceitar o fato de que muitas coisas que nos frustram provêm do fato de que não sabemos pedir. Não sabemos pedir aos amigos, não sabemos pedir aos companheiros de trabalho, não sabemos pedir à família, não sabemos.

Dizer “se eu tivesse um grampeador como o seu eu seria muito mais eficiente” não é o mesmo que dizer “por favor, podería emprestar-me seu grampeador?”

Dizer “ninguém me liga” não é o mesmo que dizer às pessoas com quem você gostaria de falar mais “estou me sentindo sozinho, gostaria de falar mais com você(s). Você pode me ligar também?” E aceitar. Aceitar a resposta que a pessoa te dá porque isso é o que nos faz realmente encontrar soluções que realmente funcionem pra nossos problemas.

Mais da metade dessas falhas vêm de medo que temos de dizer às pessoas que não gostamos ou não estamos de acordo com algo: não podemos dizer ao chefe que não queremos ou não podemos fazer determinadas coisas, não posso dizer aos meus pais que eu não quero estar em tal lugar, não posso dizer aos meus amigos que tenho que ir embora pra casa, ou pior, que quero ir embora pra casa. Não sabemos dizer não, não sabemos dizer sim e temos medo de dizer tanto não quanto sim e, se nos perguntam ‘por que’; somos capazes de inundar o mundo com as nossas penas em vez de ser protagonistas de câmbios importantes em nossas vidas. Sim!!!! você pode dizer não ao seu chefe. Isso só mostra que você é responsável, faça-lhe saber o por quê, mas fale da maneira correta.

Algumas pessoas têm mais ou menos dificuldade, porque também o tem em entender sua própria vida ou entender o que lhe faz feliz, e ‘para que’ faz determinadas coisas.

É verdade, que deveria ser um mundo onde eu digo algo à alguma pessoa e, essa pessoa não reage mal porque sabe que eu para resolver conflitos ou demonstrar que não me sinto feliz com algo. E, em contrapartida eu não reajo mal à resposta dessa pessoa porque sei que é o que ela realmente sente. Se todos fazemos com intuito de produzir uma mudança positiva. Se não fazemos isso um dia explodimos entre raivas, rancores e danos vomitamos de maneira irracional, incoerente e em geral com um teor emocional e agressivo que vai produzir somente repulsão, descrédito, raiva ou pena. E principalmente esse tipo de comportamento gera um nível de ansiedade muito alto, podendo levar à agressão ou depressão em casos extremos.

De outras formas, tampouco podemos sair por aí oferecendo-nos a ajudar a todo mundo, principalmente às pessoas que não te pedem ajuda. Todos temos que aprender a pedir. Se eu me sinto incomodado com algo que o fulano faz, tenho que falar com ele. Se eu me sinto triste com algo que alguém fez, tenho que falar com esse alguém. Se preciso da ajuda ou da compreensão do meu chefe, tenho que falar com ele, tenho que pedir. “Preciso que você acompanhe esta reunião comigo”. “Gostaria que se você pudesse suavizar um pouco essas palavras que me diz, eu me sentiria mais cômodo para produzir e melhoraria nossa relação”. É difícil, mas é possível.

Estaríamos encantados se as pessoas pudessem ler nossas mentes, acontece, que se assim fosse, elas evoluiriam por nós.

O mundo não é perfeito, mas não podemos ser vítimas de nossas vidas e destinos e situações incômodas que podamos encontrar, senão que buscar novas maneiras de dizer e pedir as coisas corretamente, sabendo também compreender aos demais. “Fulano, você tem um minuto?”, “Perdoa-me agora não tenho, posso te chamar em 20 minutos?” Tenho que saber pedir, mas tenho que saber compreender uma resposta que não vá de encontro com o que penso. Tenho que saber dizer não, mas também tenho que saber dizer sim, para não ser uma barreira. As barreiras são saltadas e os permissivos são atropelados.

 

Queremos ser parte de algo e conseguir nossos objetivos. E para isso, temos de aprender a pedir e deixar que as pessoas peçam o que precisam, quando precisem.

Anúncios